Nambia, Okavango, Chobe e Victoria Falls desde 4988.00

Poucos pases de frica podem igualar a pura beleza natural da Nambia. O seu nome deriva do seu deserto mais antigo, o Namib. No interior, percorrendo o nordeste do pas em direo ao Botswana e Zimbabwe, descobrir regies impressionantes como Etosha, Okavango, Chobe e Victoria Falls.
Chegadas a Windhoek at s 09h
Vistos Obrigatrios

Namíbia

1 - Requisitos de entrada

Os cidadãos portugueses necessitam de passaporte eletrónico com validade de 6 meses à data de entrada no país, e com pelo menos, três páginas livres. Caso a estadia seja por um período inferior a 90 dias, em turismo, os portadores de um passaporte português podem obter o visto de entrada à chegada, no controlo de fronteira. O visto é atribuído na hora, sem qualquer custo.

2 - Vacinas

A Namíbia é um país muito árido e não é necessário ou obrigatório tomar qualquer vacina antes de entrar no país, especialmente em Windhoek. Aconselha-se a ter em dia a vacina do tétano e da hepatite A e C. Dado o surto de febre-amarela em Angola, é exigido a todos os cidadãos provenientes de Angola prova de vacinação contra a febre-amarela.

3 - Moeda

A moeda local é o Dólar Namibiano (NAD), indexado ao Rand Sul-Africano com o mesmo valor de mercado. O Rand Sul-Africano é também aceite como moeda de troca na Namíbia. Os bancos e as casas de câmbio estão preparados para efetuar transações das principais moedas estrangeiras. Aconselha-se o uso de dinheiro vivo nos pagamentos. Existem vários casos de cartões clonados na Namíbia, logo o cartão de crédito deve ser cuidadosamente utilizado, nunca o perdendo de vista.

4 -  Diferença Horária

UTC/GMT +2 hora

5 - Eletricidade

220 V, 50 Hz (tomadas do tipo D, M)

6 - Clima

Na Namíbia coabitam os climas semiárido e semitropical. O verão é acompanhado de chuvas, o que torna a circulação nas estradas de gravilha mais difícil. O inverno é seco e mais apropriado para ver a fauna local. Temperaturas: média no verão: 17ºC a 30ºC; média no inverno: 12ºC a 22ºC; à noite no Inverno: -2ºC.

7 - Língua

A língua oficial é o inglês, embora o afrikaans e o alemão, além de uma profusão de línguas autóctones, também sejam falados. Em virtude da proximidade com Angola, cerca de 4-5% da população total é lusófona.


Botswana

1 - Requisitos de entrada

Não é obrigatório o visto de entrada, devendo estar munido do passaporte com a validade de 6 meses para além da data da viagem.

2 - Vacinas

A malária existe no nordeste do país. O sul não é atingido por esta doença mas a existência de mosquitos é abundante. A água da rede pública é potável em todo o país. Encorajamos, no entanto, o consumo de água engarrafada. Se chegar ao Botsuana proveniente de um país onde a febre amarela seja endémica, será exigida a apresentação do certificado de vacinação.

3 - Moeda

A moeda local é o Pula.

Os cartões de crédito são aceites nos grandes hotéis, aeroporto e em algumas lojas e restaurantes. Os traveller cheques e as divisas podem ser trocados nos grandes hotéis e bancos. Encontra multibancos/ATM nas principais cidades.

Faça-se acompanhar sempre da sua identificação (passaporte).

4 -  Diferença Horária

UTC/GMT +2 hora

5 - Eletricidade

231 V, 50 Hz (tomadas do tipo D, G, M)

6 - Clima

No Botswana, o verão é longo, quente e de céu parcialmente encoberto; o inverno é curto, ameno, seco e sem nuvens. Ao longo do ano, em geral a temperatura varia de 5 °C a 32 °C e raramente é inferior a 1 °C ou superior a 36 °C.

7 - Língua

Inglês e Setswana.


Zimbabwe

1 - Requisitos de entrada

Obrigatório visto de entrada, que poderá ser tratado em fronteira terrestre ou no aeroporto de Harare, devendo o passaporte ter pelo menos uma validade de 6 meses para além da data da viagem. É necessário ter a documentação de identificação válida sempre presente, para poder produzi-la se necessário às forças de segurança. Tenha sempre consigo documentação de identidade ou uma cópia do seu passaporte.

2 - Vacinas

Marque sempre uma consulta de viajante com a antecedência necessária antes de viajar para o Zimbabwe. Vacinas ou reforços geralmente aconselhados: Hepatite A; Tétano. Outras vacinas a serem consideradas: Difteria; Hepatite B; Raiva; Febre Tifoide; Febre Amarela.
Certificado de vacinação contra febre amarela exigido para viajantes com 1 ano ou mais de idade que chegam de países com risco de transmissão da febre amarela e para viajantes que transitam por mais de 12 horas através de um aeroporto de um país com risco de transmissão da febre amarela.

O risco de malária é baixo, mas aumenta na época das chuvas e perto de cursos de água, tais como o Zambeze).

 

3 - Moeda

A moeda local é o dólar zimbabueano (RTGS) mas desde abril de 2020 que o dólar americano passou a ter curso legal e é comumente aceite. É necessário ter em conta que é difícil levantar dinheiro, o que apenas pode ser feito nas principais cidades (como Harare, Bullawayo e Victoria Falls) e que as taxas para pagamentos bancários com cartões internacionais são elevadas. Sempre que possível, deve-se pagar os hotéis antes de viajar e levar USD para cobrir as despesas correntes.

4 -  Diferença Horária

UTC/GMT +2 hora

5 - Eletricidade

220 V, 50 Hz (tomadas do tipo D, G)

6 - Clima

Estação seca: abril – outubro. Estação das chuvas: novembro - março. É no fim da estação seca que será mais fácil ver todo o tipo de animais dado que a erva está mais baixa e estes se têm de deslocar aos pontos de água para beber. É também nesta altura que se verá melhor as Cataratas de Vitória, dado que a menor queda de água possibilita baixar o vapor que se levanta. O Inverno (abril - setembro) pode ser frio, em especial à noite, mas raramente registando temperaturas negativas, o que apenas poderá acontecer nas zonas montanhosas (Vumba e Nyanga).

7 - Língua

Inglês, shona, ndebele e outras. Nas maiores cidades e pontos turísticos o inglês está muito disseminado, mas nas zonas rurais pode haver dificuldades de comunicação nesta língua.

Itinerrio

1º Dia – LISBOA ou PORTO / WINDHOEK
Comparência no aeroporto 120 minutos antes da hora prevista para a partida. Formalidades de embarque e saída em voos regulares com destino a Windhoek, via uma cidade de ligação. Noite a bordo.

2º Dia – WINDHOEK / ETOSHA
Chegada a Windhoek, capital da Namíbia, até às 09h. Receção pelo guia local e partida com destino ao alojamento na região do Parque Nacional de Etosha. A nossa viagem levar-nos-á ao paraíso da vida selvagem da Namíbia. Chegada e alojamento ao Eldorado Lodge ou similar, situado na fronteira do Parque Nacional. Tempo para desfrutar do lodge e descansar à beira da sua piscina. 

3º Dia – ETOSHA
Pequeno-almoço no lodge. O dia será dedicado exclusivamente à abundante vida selvagem existente no Parque Nacional de Etosha, que circunda um deserto salgado conhecido como Etosha Pan. O parque é habitat de 4 dos denominados Cinco Grandes, o elefante, o leão, o leopardo e o rinoceronte. O parque foi declarado como a primeira área de conservação da Namíbia em 1907 pelo então Governador, von Lindequist. Apesar do tamanho do Parque Nacional de Etosha, apenas o extremo sul da bacia é acessível aos visitantes. A observação de animais selvagens no parque concentra-se em grande parte nos charcos, alguns dos quais alimentados por nascentes e outros abastecidos por poços, sem dúvida locais ideias para ficar a observar as mais de 114 espécies de caça diferentes. Ou para um amante de pássaros, observar mais de 340 espécies de aves. Para além dos animais acima mencionados, aqui também se encontra com facilidade a girafa, o gnu azul, a zebra, a hiena, o antílope, o órix, assim como algumas espécies ameaçadas de extinção, como o rinoceronte negro, a chita, a impala de cabeça preta. Possibilidade de realizar um safari em veículo aberto (consultar preço do pacote de atividades). Chegada e alojamento no La Rochelle Lodge ou similar.

4º Dia – REGIÃO DE KAVANGO
Após o pequeno-almoço no lodge, seguimos para norte em direção à exuberante região do Kavango, na Namíbia. Ao longo do trajeto passaremos por inúmeras aldeias à beira da estrada. Chegada a Rundu, conhecido pelo seu típico e variado artesanato em madeira trabalhada. Transporte ao Taranga River Lodge ou similar. Com as suas magnificas florestas e rios perenes, a região do Kavango contrasta fortemente com o resto da Namíbia. Grandes extensões de florestas altas, florestas ribeirinhas, planícies aluviais e canais cobertos de junco dominam a zona. Alojamento no lodge.

5º Dia – PARQUE NACIONAL DE MAHANGO
Pequeno-almoço no lodge. De manhã, seguimos a rota do rio Okavango até à região do Zambeze. Exuberante, verde, ribeirinha, é assim que se pode descrever esta região. É por esta razão que faz da Namíbia a “Terra de Contrastes”. A área é caracterizada por rios perenes e grandes florestas. Embora a maior parte da Namíbia seja árida, esta área é exuberante, com solo rico e a vida selvagem abundante. Chegada ao Shametu River Lodge ou similar. Das margens do rio Okavango, diretamente do nosso lodge, temos uma vista magnifica sobre as Cataratas Popa, uma série de pequenas rápidos num ambiente paradisíaco, perto do Parque Nacional de Mahango. A grande maioria dos quartos do lodge oferecem vistas panorâmicas do Parque Búfalo, que se encontra no outro lado do rio. Possibilidade de realizar um passeio de barco, ao final da tarde, no rio Okavango (consultar preço do pacote de atividades). Alternativamente poderá efetuar uma caminhada até uma vila local de Habukushu. Alojamento no lodge.

6º Dia – PARQUE NACIONAL DE MAHANGO
Após o pequeno-almoço no lodge, viajaremos para o Parque Nacional de Mahango. Sendo o mais pequeno, mas mais densamente povoado Parque Nacional da Namíbia, a visita será imprescindível em termos de vida selvagem e observação de aves. Neste parque existe um elevado número de elefantes, bem como um bom número de antílopes, que são escassos ou não são vistos noutras partes da Namíbia. O Parque Nacional de Mahango é um excelente destino para a observação de aves com mais de 400 espécies diferentes. Alojamento no lodge.

7º Dia – PARQUE NACIONAL BWABWATA
Pequeno-almoço no lodge. Partida do Parque Nacional de Mahango através da região do Zambeze até às exuberantes florestas do rio Kwando. Centenas de elefantes, grandes manadas de búfalos e numerosos antílopes vagueiam ao longo das majestosas florestas ribeirinhas. Após a instalação no Chobe River Camp ou similar, poderá opcionalmente participar num passeio pela natureza, à tarde, que o levará ao Parque nacional de Bwabwata. Se as condições da estrada permitirem, desfrute de uma paragem panorâmica na famosa Curva da Ferradura, onde por vezes centenas de espécies cinegéticas se reúnem para matar a sede. Alojamento no lodge. 

8º Dia – CHOBE
Após o pequeno-almoço no lodge, atravessamos a fronteira até Kasane, uma pequena e movimentada povoação nos limites do Parque Nacional de Chobe. Alojamento no Chobe Safari Lodge ou similar, localizado num recanto especial da selva africana, onde 2 caudalosos rios se encontram, um paraíso pantanoso que é um refúgio para a natureza e a vida selvagem. Descubra as maravilhas deste local mágico. Aqui a vida selvagem circula livremente em profusão e diversidade. É o habitat da maior concentração de elefantes de África. Outras espécies significativas, como o leão, o leopardo, a hiena, a palanca negra e o antílope ruão, são avistados em muitas áreas da reserva. À tarde, recomendamos um cruzeiro opcional ao pôr-do-sol no rio Chobe ao longo do Parque Nacional, para desfrutar a infinidade de espécies de caça encontradas ao longo das margens do rio Chobe.

9º Dia – VICTORIA FALLS
De manhã, antes do pequeno-almoço, possibilidade de realizar opcionalmente num safari em veículo aberto no Parque Nacional de Chobe, para observar a vida animal ao raiar do dia (consultar preço do pacote de atividades). Regresso ao lodge e pequeno-almoço no terraço com vista para o rio. De seguida, o guia leva-nos através da fronteira até ao Zimbabwe, onde chegamos à região da famosas e imponentes Cataratas Victoria. Alojamento no Shearwater Explorer Village ou similar. À tarde, no lodge, estão disponíveis variadas atividades na região.

10º Dia – VICTORIA FALLS
Pequeno-almoço no lodge. De manhã, excursão guiada às Cataratas Victória, uma das 7 maravilhas naturais da Terra, que inclui um passeio a pé para explora a zona. Esta deslumbrante beleza da natureza é acompanhada por um rugido ensurdecedor e borrifos de água que se formam em arco no céu, dando por isso às cataratas o seu nome local: Mosi-ao-Tunya ou a “Fumaça que Troveja”. De seguida, visita a um mercado de artesanato local. Resto da tarde livre para descansar ou para efetuar alguma atividade opcional. Alojamento no lodge.

11º Dia – VICTORIA FALLS / LISBOA ou PORTO
Pequeno-almoço no lodge. Direito à ocupação do quarto até às 12h. Em hora a indicar localmente transporte para o aeroporto internacional de Victoria Falls. Formalidades de embarque e partida em voos regulares com destino a Lisboa ou Porto, via uma cidade de ligação. Noite a bordo.

12º Dia – LISBOA ou PORTO
Chegada a Portugal ao início da tarde.

FIM DA VIAGEM
 

Inclui:

Passagem aérea em classe económica para percurso Porto ou Lisboa / Cidade de Ligação / Windhoek - Victoria Falls / Cidade de Ligação / Lisboa ou Porto, em voos regulares, com direito ao transporte de 25 Kg de bagagem (1 mala);

Transporte em veículo de turismo durante todo o percurso mencionado, incluindo os transportes de e para o aeroporto;

9 Noites de alojamento nos lodges/hotéis indicados ou similares, em quarto duplo/single incluindo o pequeno-almoço;

Água engarrafada durante as visitas e passeios;

Guias locais falando inglês e alemão (algumas datas será exclusivamente em inglês);

Todas as visitas, atividades, safaris fotográficos e entradas mencionadas no programa;

Todos os impostos aplicáveis;

Taxas de aeroporto e combustível;

Seguro Multiviagens PVFM Premium4K+COVID19 OT+CIV B.
 

No inclui:

Despesas de carácter pessoal e tudo o que não esteja como incluído de forma expressa;

Gratificações (bagageiros, motorista, guia) e bebidas à refeição;

Visto obrigatório de entrada na Namíbia (à entrada e sem custo);

Visto obrigatório de entrada no Zimbabwe (cerca de USD 30, tratado na fronteira).

Notas:

Notas Importantes: Os valores apresentados poderão sofrer eventuais alterações em caso de significativas oscilações de custos de combustível e/ou taxas.

Chegada a Windhoek até às 09h

Vistos Obrigatórios